Cavalgada de Monteiro será dia 17 de Abril.



Olá apaixonados por Cavalgada, o site Cavaleiros do Cariri está de volta, divulgando essa que será uma das maiores e melhor Cavalgada de 2016.

A rota ficará por parte da beleza natural dos canais da Transposição do Rio São Francisco.




Os Cavaleiros serão recepcionados a partir do Sábado (16), no Parque de Exposição EMBRAPA, onde terá forró pé de serra e churrasco pros convidados, além da Boutique do Manga Larga Marchador com seus produtos à venda.

No domingo (17) os Cavaleiros se direcionaram com seus animais ao ponto de partida, no distrito de Pernambuquinho, fronteira PB-PE, onde será servido o café da manhã, e sairá após a benção do Padre.


Durante o percurso de 20km, os Cavaleiros disponibilizaram da maior e melhor estrutura de uma Cavalgada.




Café da Manhã a partir das 7:30am,
Batedores em todo o percurso,
Seguranças,
Ambulância,
Veterinário,
Carros de Som e de Apoio,  servindo água mineral e frutas ao participantes, durante todo o percurso.
Almoço e Forró Pé de Serra, no sítio Extrema   ( Palhoça do Gringo).

Nos bates sela o forró não vai parar, e ao findar-se o desfile pela ruas da cidade, a animação será por conta da banda Os Patrões do Forró




Os Cavaleiros do Cariri agradecem desde já sua participação.

Cavalgada da Integração de Monteiro-PB

Vem aí !!! Cavalgada da Integração 2016



À Associação dos Cavaleiros do Cariri  Paraibano, apresentam; CAVALGADA DA INTEGRAÇÃO 2016.

Cavalgadas ajudam a promover a raça Mangalarga, Associação da Paraíba

A Associação dos Criadores da Paraíba, presidida por José Dagnaldo  Siqueira Silva, vem incrementando várias iniciativas de fomento do cavalo Mangalarga Marchador na Paraíba, com o apoio da ABCCMM.
No cronograma de trabalho denominado Projeto Piloto Itinerante,  previsto para novembro e dezembro de 2015, constam a fomentação da raça em sete estados, cavalgadas pelo litoral sul e Mamanguape, ações sociais do projeto “Marchadores pela Vida”, Equoterapia e o programa Novembro Azul.
Dagnaldo assumiu o Núcleo da Paraíba em 10 de abril deste ano, mas não vem brincando em serviço. Aumentou o número de sócios e está prevendo vários eventos para aglutinar os criadores da região.
Em 14 de novembro deste ano, a Associação realizou a 1ª Cavalgada APCCMM Litoral Sul, na Praia de Carapibus, em Conde/PB, cuja recepção foi no Haras do Mar e apoio do Haras Paraíba. clique aqui para ver fotos
Duas semanas depois, a APCCMM realizou em 28 de novembro, a 2ª Cavalgada, desta vez em Mamanguape/PB. clique aqui para ver fotos.

OBESIDADE em equinos, sinal de beleza ou problema de saúde?

Alertados pelos crescentes problemas de saúde em humanos, vários pesquisadores veterinários tem se dedicado ao estudo da obesidade e suas complicações em cavalos. Obviamente o conhecimento ainda está muito além do que se sabe em humanos, mas descobertas recentes têm mostrado dados muito interessantes e importantes para os criadores. Entre tanto, hoje já sabemos que os cavalos obesos sofrem de vários dos problemas que os homens tem, incluindo o aumento do triglicérides, o aumento do colesterol e a resistência insulínica, que já é conhecida como Síndrome Metabólica Equina.

A hiperlipidemia, ou seja, o aumento de gordura no sangue (triglicérides e colesterol), já está muito bem descrita em minicavalos, pôneis, jumentos e mesmo em burros. Neste caso, animais mais obesos desenvolvem o aumento triglicérides e colesterol no sangue, que levam ao acumulo de gordura no fígado (fígado gordo), que por sua vez para de trabalhar de forma adequada. Quando o fígado é afetado, os animais ficam sem apetite e começam a perder peso rapidamente e podem apresentar fraqueza, tontura e até convulsões. É uma doença grave, podendo evoluir para a morte em 40% dos animais afetados.

A Síndrome Metabólica também tem sido cada vez mais diagnosticada em equinos. Os cavalos, como têm vida mais curta que os homens, dificilmente ficarão diabéticos ou terão derrame ou infarto do miocárdio. Contudo, a resistência insulínica em cavalos obesos tem sido fortemente associada à Laminite, uma doença de grande impacto para o cavalo.

A Laminite, também conhecida como aguamento, é uma inflamação que acontece nas estruturas internas do casco. A forma de Laminite mais conhecida é aquela que surge quando o Mangalarga Marchador é submetido a um esforço muito intenso ou após um episódio de cólica oi uma infecção uterina grave. Nestes casos, se a inflamação não for contida, o casco se desprende dos ossos. Em casos graves, o animal pode perder os cascos e ter que ser sacrificado.

Entretanto, no caso da obesidade, a Laminite é bem diferente. Ela acontece de forma silenciosa. Sem que o dono ou o treinador perceba, ela vai promovendo pequenas lesões, que vão se acumulando com o tempo. Um dia, sem mais nem menos, o Mangalarga Marchador apresenta uma manqueira e, ao passar por um exame de Raio X, percebe-se que já existem sinais avançados da separação entre o casco e os ossos. Como o processo acontece lentamente, dificilmente o cavalo perde o casco e tem que ser sacrificado, contudo a Laminite dos obesos faz com que o animal tenha constantes crises de dor e os cascos podem ficar completamente deformados.

Como identificar a doença?

O primeiro passo no estudo da obesidade é saber reconhecê-la. Como saber se seu cavalo está moderadamente obeso, obeso ou muito obeso. Para tanto deve-se observar os principais pontos de depósitos de gordura no cavalo, sendo eles: a parte superior do pescoço (“crista do pescoço”), a cernelha, o lombo e a base da cauda, atrás da espádua e de sua articulação, o costado e ao redor das saliências dos ossos da garupa.

Com base na avaliação visual da quantidade de gordura depositada nestes pontos específicos, veterinários criaram escalas para avaliar o escore corporal baseada da deposição de gordura localizada. Existe uma escala mais simples, que vai de 0 a 5, a escala de 1 a 9 tem sido mais utilizada na atualidade. Nessa escala, a nota 1 corresponde ao animal extremamente magro, que não possui depósito de gordura aparente e a musculatura está muito atrofiada, deixando aparentes as saliências ósseas. Já na nota 9, existem depósitos evidentes de gordura localizada.

Com base nesta escala, aparecem os primeiros levantamentos da incidência de obesidade em equinos. Por exemplo, nos Estados Unidos, um estudo preliminar em 300 cavalos, demonstrou 10% de obesos. Contudo, no estado de Ohio, 22% dos animais adultos foram considerados obesos. Em pôneis, a obesidade ainda é mais comum, afetando 28% em um estudo feito na Austrália. Os levantamentos iniciais também demonstram que algumas raças parecem ser mais propensas a desenvolver a obesidade, como é o caso das diversas raças de Ponêis, além dos Árabes e até mesmo cavalos Quarto de Milha.

No Brasil ainda não existem pesquisas publicadas, mas em nossa rotina de cirurgiões veterinários, é fácil constatar durante o ato cirúrgico que a maioria dos animais de raças nacionais que são submetidos a cirurgia de cólicas (geralmente reprodutores de alto valor), apresenta grande quantidade de gordura, tanto debaixo da pele quanto entremeada entre os órgãos internos.

Não se sabe ainda com certeza se as raças nacionais são mais propensas à obesidade, mas acredita-se que raças que foram selecionadas em ambientes com pouca oferta de alimentos, como é o caso dos Árabes, são mais propensas a acumular peso. Este raciocínio se deve ao fato de que, em um passado de falta de alimentos, animais que se mantinham em bom estado corporal comendo menos tiveram maior destaque no desenvolvimento da raça. Uma vez que as raças nacionais de Marchadores se iniciaram predominante em pastos nativos das serras de Minas, de baixo poder nutricional, é de se esperar que hoje esses animais sejam muito resistentes e ao mesmo tempo consigam ganhar mais peso que o normal quando lhes é ofertada uma dieta moderna de alto valor nutricional.

Novas pesquisas

Além do ensino e da prestação de serviços à comunidade, a pesquisa direcionada para o desenvolvimento tecnológico é uma atividade de grande importância dentro da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Na Escola Veterinária existem vários professores que se dedicam a diversos aspectos da criação, reprodução, treinamento atlético e da saúde em equinos.

O estudo da Laminite é um dos focos dessa atividade. Atualmente na UFMG tem participado, por meio de uma motivada equipe de alunos de graduação, mestrado e doutorado, de um esforço conjunto com outras universidades do país e do exterior para se determinar as causas da separação do casco (a pior consequência da Laminite) e propor tratamento eficaz para esta doença, que vem trazendo sofrimento para um número crescente de cavalos em todo o mundo. A meta deste consórcio de institutos de pesquisa é a descoberta de métodos de controle de tratamentos eficazes até o ano de 2020.

Na vanguarda dessas pesquisas, está o curso na UFMG o teste de um moderno anti-inflamatório produzido na Itália (ainda em fase inicial de teste em humanos) para tratamento da Laminite aguda em cavalos, aquela que acontece após uma cólica intestinal intensa. Também já se iniciou uma série de levantamentos para se identificar as características dos cascos de cavalos e obesos de raças nacionais. Nessa linha de trabalho, estudos realizados por nosso grupo em associação com a Universidade Federal de Pelotas mostram que 50% dos equinos da raça Crioulo mais obesos (escore 9) apresentam, a exame de Raio X, sinais clássicos de Laminite e de separação de casco. Este dado foi ainda mais relevante considerando-se o caráter silencioso do desenvolvimento da doença uma vez que nenhum dos animais estudados havia apresentado sintomas prévios da Laminite.

Os estudos também já se iniciaram na raça Mangalarga Marchador. Em um plantel foram medidos e radiografados os cascos de 36 éguas, 18 com peso normal e 18 com obesidade moderada. Os resultados foram muito interessantes, primeiro porque não se verificaram diferenças entre os dois grupos, mostrando que a obesidade moderada em éguas reprodutoras criadas a pasto não parece ser um fator de risco para Laminite na raça Mangalarga Marchador. Mas um achado que chamou bastante atenção dos pesquisadores foi o de que as medidas tomadas ao exame de RX mostraram que a raça Mangalarga Marchador possui padrões de posicionamento dos ossos que compõe a pata distintos dos padrões descritos para raças internacionais. Esta pesquisa com a raça Mangalarga Marchador chamou a atenção de vários veterinários, sendo selecionada como destaque nos trabalhos apresentados na Semana de Iniciação Cientifica da UFMG em 2010, e premiada como melhor trabalho científico da área Clínica no último Simpósio Internacional do cavalo Atleta ocorrido em abril de 2011.

Em conjunto, estes trabalhos iniciais demonstraram que raças nacionais possuem características próprias na constituição de suas patas, que precisam ser caracterizadas e documentadas. Também se verificou que a forma silenciosa da Laminite determinada por obesidade pode se desenvolver em nossas raças, trazendo sérios prejuízos. A impressão inicial é que animais criados a pasto estão relativamente seguros, contudo esta condição deve ser investigada com urgência em animais realmente obesos na raça Mangalarga Marchador. Acreditamos que a preocupação maior deve ser com éguas doadoras de embriões e garanhões, ou seja, animais que tendem à obesidade, pois normalmente recebem alimentação reforçada sem, na maioria das vezesm exercer atividade física regular.

Por: Rafael Resende Faleiros (Prof. Adjunto da Escola Veterinária da UFMG, Doutor em Cirurgia Veterinária pela UNESP, Pesquisador do CNPq)




Começa a Exposição Nordestina de Animais do Recife

 
Com mais de 5 mil bichos em exibição entre entre bovinos, equinos, ovinos, caprinos, aves e peixes ornamentais, começou nesse domingo (15) a 74ª Exposição Nordestina de Animais e Produtos Derivados (ENAPD), que acontece no Parque de Exposições do Cordeiro. Os portões foram abertos às 8h, atraindo um público formado principalmente por famílias com crianças. A partir de hoje, com o início dos dez leilões de animais geneticamente melhorados que serão realizados ao longo da semana, os visitantes focados nos negócios deve se intensificar. A expectativa é que o evento movimente cerca de R$ 30 milhões com os arremates e vendas de animais, maquinários e outros produtos.
Para o presidente da Sociedade Nordestina dos Criadores (SNC), Emanuel Rocha, a feira ganha uma importância ainda maior diante da sequência de anos com chuvas abaixo do esperado e da conjuntura política econômica. “Além disso, através desse evento é possível que os criadores tenham acesso à evolução na Tecnologia genética, que é fundamental para o desenvolvimento da nossa agropecuária”, destaca.

Sábado dia 24 de Outubro tem Cavalgada da Lua Cheia em Monteiro-PB


Cavaleiros do Cariri preparam a cavalgada da Lua Cheia do mês de Outubro de 2015, será neste sábado dia 24, saída as 17:30 horas do Cepo da rua da Varzea em Monteiro-PB, Uma das grandes vantagens de uma cavalgada é que você estará dividindo sua aventura com a família e amigos, e terá a companhia de um animal, e é assim que a cavalgada da lua cheia iniciou, unindo os amigos para lazer e diversão e contar história.

16 dicas para iniciantes em cavalgada

Equitação  é uma das atividades de ecoturismo de lazer que também pode ser considerada como esporte de aventura, sendo uma das mais praticadas no Brasil.
Em diversas regiões, é muito fácil encontrar ranchos e fazendas históricas que oferecem passeios a cavalo. O turista ou cavaleiro iniciante que deseja se sentir um  verdadeiro Cawboy,  pode estar prestes a literalmente “cair do cavalo”  se não conhecer alguns conceitos básicos e dicas para uma montaria segura. Vale lembrar que o  4º maior índice de acidentes em esportes de aventura acontecem nas cavalgadas.
Como diria um amigo meu:  “se o cavalo soubesse a força que têm, ninguém montaria em seu dorso”, então, conhecer o manejo de cavalos é minimamente fundamental. Veja as dicas abaixo:
anatomia do cavalo - img haras pantanal

1) Conheça a anatomia do cavalo. Cavalgada é o tempo todo “contato com o animal” e com este convívio você aprende que cada parte do corpo provoca um estímulo e uma sensação em você e no cavalo.
2) Pergunte ao proprietário ou ao instrutor sobre o temperamento do cavalo.  Alguns amimais podem se dar melhor com o tipo da pessoa que vai montar (biotipo, peso, altura, crianças, etc..) Existem cavalos que não são recomendados para iniciantes.
3) Seu medo também influencia. Quando estamos com medo nosso corpo exala hormônios como adrenalina e cortisol, e o cavalo percebendo e sentindo isso – como a maioria dos animais- interpreta como uma ameaça. Procure ficar tranquilo(a) o cavalo não costuma ser agressivo se você  não o maltrata ou se não invade seu espaço.
4) Por falar em espaço, o cavalo respeita seu, então respeite o dele. Não o toque se ele não deixar e nem pense em passar por trás. O cavalo têm o coice como uma de suas defesas porque consegue enxergar quase 360º.
5) Conheça bem o cavalo e deixe que ele o conheça. Os cavalos precisam estabelecer uma relação de segurança para não se tornarem agressivos e permitirem que você monte, então isso pode demorar um pouquinho.
6) Mantenha uma distância razoável do cavalo até que ele acostume com sua presença. Não se preocupe,  em menos de 50 metros ele já sente seu cheiro, já tem uma idéia da sua altura e sabe se você tem medo ou não.
7) Conversar com o cavalo em tom ameno e firme vai ajudar estabelecer essa relação de amizade.
8) Batidas de pata e movimentos constantes de cabeça indicam inquietude. Esse certamente não é o momento de tentar se aproximar, muito menos montar.
9) Ao perceber o cavalo mais tranquilo aproxime-se dele bem devagar e observe se ele não hesita em conhecê-lo melhor – normalmente o animal recua, ainda “meio” desconfiado. Para que o cavalo não se sinta ameaçado faça isso por um dos lados e nunca de frente.
10) Procure fazer o primeiro contato com as mãos entre o final do pescoço e a espádua. Um carinho na cernelha pode relaxar bastante o animal.
11) Depois do primeiro contato você já pode ficar de frente com seu novo amigo. Deixe que ele sinta seu cheiro mais de perto entretanto evite tocar no nariz e focinho.
12) Alguns proprietários e treinadores oferecem recompensas aos cavalos com  pedaços de cenoura ou tabletinhos de açucar. Isso pode ajudar a fazer seu novo amigo, se o dono do cavalo deixar você alimentá-lo, obviamente.
13) Já montado, evite movimentos bruscos com as pernas e com as rédeas. Movimentos do seu quadril, pressão das pernas no costado e movimento com as rédeas são comandos para o cavalo, então quanto mais suave você agir mais gentil o animal será.
14) Montar com chinelos, sandálias e outros calçados que tenham algum tipo de alça não é uma boa idéia, se o animal se assustar e “empinar, ou se você se desequilibrar e cair, seu pé pode ficar enroscado no estribo. O mesmo vale para roupas e acessórios que podem enroscar na sela.
15) Evitar cavalgar muito próximo a outros cavalos também é uma boa dica. Alguns cavalos costumam se estranhar, e você não vai querer ficar dentro dessa briga, vai ?
16) Lembre-se: você não é um jóquei ou um cowboy experiente. Não queira sair cavalgando em velocidade com seu cavalo, você pode não conseguir pará-lo.
Com essas dicas básicas você pode fazer uma cavalgada muito legal, interagindo com a natureza e com o animal.
Ah !! Não esqueça de tirar uma foto com seu novo amigo.
garota - cavalo

PB Agronegócios começa neste domingo em JP, com exposições, lazer e negócios

O objetivo é promover a realização de negócios para o setor agropecuário, comercialização de animais, máquinas e feno, além de apresentar novas tecnologias para os produtores rurais.

A 48ª Feira Agropecuária e de Derivados da Paraíba, a Paraíba Agronegócios 2015, ocorre a partir deste domingo (20) e segue até o dia 27, no Centro de Eventos e Exposição Henrique Vieira de Melo, em João Pessoa. O objetivo é promover a realização de negócios  para o setor agropecuário, comercialização de animais, máquinas e feno, além de apresentar novas tecnologias para os produtores rurais.
Na programação, serão oito dias de feira dedicados ao agronegócio paraibano, com exposição de máquinas e implementos agrícolas, oficinas, cursos e palestras, concursos, shopping de animais, leilão de bovinos, feira de artesanato e de agricultura familiar, praça de alimentação e shows com atrações musicais. O evento também conta com a participação do Kennel Clube da Paraíba, com exposição de diversas raças caninas, demonstração e campeonato de agility - esporte no qual o cão precisa superar obstáculos, e campeonato nacional de cavalos da raça Mangalarga Machador.
Os visitantes poderão conferir e adquirir animais de raça selecionadas como gado Nelore, Sindi, Guzerá, Gir, Girolando e Holandês. Entre os equinos, o destaque é para a raça Mangalarga Marchador. Entre os caprinos e ovinos estarão em exposição raças como Dorper, White Dorper, Santa Inês, Boer, Anglo Nubiana, Toggenburg, Alpina, Saanen e Savana.
O Centro de Eventos e Exposição Henrique Vieira de Melo está localizado no Bairro do Cristo Redentor, na BR-230, Km 25, João Pessoa. A entrada para o evento é gratuita.

Paraíba Agronegócios volta a acontecer em 2015, destaque para Capeonato Nacional do Cavalo Mangalarga Machador

A Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (FAEPA) em parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), realiza a 48ª Feira Agropecuária e de derivados da Paraíba. O evento acontecerá de 20 a 27 de setembro, no Centro de Eventos e Exposição Henrique Vieira de Melo. A Feira “Paraíba Agronegócios 2015” visa a realização de negócios para o setor agropecuário, comercialização de animais, máquinas e feno, além de apresentar novas tecnologias para os produtores rurais do estado.
Na programação, serão oito dias de feira dedicados ao agronegócio paraibano, com exposição de máquinas e implementos agrícolas, oficinas, cursos e palestras, julgamentos, shopping de animais, leilão de bovinos, feira de artesanato e de agricultura familiar, praça de alimentação e shows com atrações musicais. O evento também contará com a participação do Kennel Clube da Paraíba, com exposição de diversas raças caninas, demonstração e campeonato de agility, esporte no qual o cão precisa superar obstáculos e campeonato nacional de cavalos da raça Mangalarga Machador.
O secretário Rômulo Montenegro destaca que o reconhecimento da Paraíba como zona livre de febre aftosa abriu a oportunidade para realização do evento. “Nós vamos apresentar para o Brasil uma das melhores genéticas e não tenho dúvidas que iremos impulsionar o agronegócio. Todos os parceiros estão convictos que teremos a possibilidade de receber grandes incentivos para o estado, aqui estarão criadores de todo o Brasil, será uma troca de conhecimentos e possibilidades para impulsionar o agronegócio,” destacou.
Para o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), Mário Borba, a retomada da Exposição é uma grande conquista para o Estado, já que vai possibilitar o retorno das negociações agropecuárias e movimentar a economia do setor. “A agropecuária comprovou que é o setor que vem alavancando e segurando a economia da Paraíba, por isso, precisamos mostrar aos produtores rurais, empresários, instituições financeiras, iniciativa privada e órgãos o quanto o setor é importante. Fazer um evento deste porte é um grande desafio para este ano, mas, sem dúvidas, será o marco de um recomeço”, disse Mário Borba.
O Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), realiza a 48ª Feira Agropecuária e de Derivados da Paraíba. O evento acontecerá de 20 a 27 de setembro, no Centro de Eventos e Exposição Henrique Vieira de Melo. A Feira “Paraíba Agronegócios 2015” visa à realização de negócios para o setor agropecuário, comercialização de animais, máquinas e feno, além de apresentar novas tecnologias para os produtores rurais do Estado.
Na programação, serão oito dias de feira dedicados ao agronegócio paraibano, com exposição de máquinas e implementos agrícolas, oficinas, cursos e palestras, julgamentos, shopping de animais, leilão de bovinos, feira de artesanato e de agricultura familiar, praça de alimentação e shows com atrações musicais. O evento também contará com a participação do Kennel Clube da Paraíba, com exposição de diversas raças caninas, demonstração e campeonato de agility, esporte no qual o cão precisa superar obstáculos e campeonato nacional de cavalos da raça Mangalarga Machador.
O secretário Rômulo Montenegro destaca que o reconhecimento da Paraíba como zona livre de febre aftosa abriu a oportunidade para realização do evento “nós vamos apresentar para o brasil uma das melhores genéticas e não tenho dúvidas que iremos impulsionar o agronegócio, todos os parceiros estão convictos que teremos a possibilidade de receber grandes incentivos para o estado, aqui estarão criadores de todo o brasil será uma troca de conhecimentos e possibilidades para impulsionar o agronegócio,” destacou.
Já para o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), Mário Borba, que é um dos principais parceiros da exposição diz que a retomada da Exposição é uma grande conquista para “termos a possibilidade real do retorno das negociações agropecuárias para movimentar a economia do setor. O agronegócio comprovou para o País que é um dos principais vetores de desenvolvimento e a Paraíba não vai ficar de fora. A agropecuária vem alavancando e segurando a economia do nosso estado por isso, precisamos mostrar aos produtores rurais, empresários, instituições financeiras, iniciativa privada e órgãos o quanto o setor é importante. Fazer um evento deste porte é um grande desafio para este ano, mas, sem dúvidas, será o marco de um recomeço”, disse Mário Borba.
Os visitantes poderão conferir e adquirir animais de raça selecionada como Gado Nelore, Sindi, Guzerá, Gir, Girolando e Holandês. Entre os equinos, o destaque é para a raça Mangalarga Marchador. Entre os caprinos e ovinos estarão em exposição raças como Dorper, White dorper, Santa inês, Boer, Anglo nubiana, Toggenburg, Alpina, Saanen, Savana.
A Feira de Exposição Paraíba Agronegócios 2015 é uma realização do Governo do Estado através da Sedap, em parceria com a Faepa, com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural da Paraíba (Senar-PB), o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas da Paraíba (Sebrae-P
- See more at: http://paraiba.pb.gov.br/secretarias/agropecuaria-e-pesca/governo-da-paraiba-realiza-feira-agropecuaria-e-derivados/#sthash.LqsqNvdf.dpuf
O Gove
O Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), realiza a 48ª Feira Agropecuária e de Derivados da Paraíba. O evento acontecerá de 20 a 27 de setembro, no Centro de Eventos e Exposição Henrique Vieira de Melo. A Feira “Paraíba Agronegócios 2015” visa à realização de negócios para o setor agropecuário, comercialização de animais, máquinas e feno, além de apresentar novas tecnologias para os produtores rurais do Estado.
Na programação, serão oito dias de feira dedicados ao agronegócio paraibano, com exposição de máquinas e implementos agrícolas, oficinas, cursos e palestras, julgamentos, shopping de animais, leilão de bovinos, feira de artesanato e de agricultura familiar, praça de alimentação e shows com atrações musicais. O evento também contará com a participação do Kennel Clube da Paraíba, com exposição de diversas raças caninas, demonstração e campeonato de agility, esporte no qual o cão precisa superar obstáculos e campeonato nacional de cavalos da raça Mangalarga Machador.
O secretário Rômulo Montenegro destaca que o reconhecimento da Paraíba como zona livre de febre aftosa abriu a oportunidade para realização do evento “nós vamos apresentar para o brasil uma das melhores genéticas e não tenho dúvidas que iremos impulsionar o agronegócio, todos os parceiros estão convictos que teremos a possibilidade de receber grandes incentivos para o estado, aqui estarão criadores de todo o brasil será uma troca de conhecimentos e possibilidades para impulsionar o agronegócio,” destacou.
Já para o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), Mário Borba, que é um dos principais parceiros da exposição diz que a retomada da Exposição é uma grande conquista para “termos a possibilidade real do retorno das negociações agropecuárias para movimentar a economia do setor. O agronegócio comprovou para o País que é um dos principais vetores de desenvolvimento e a Paraíba não vai ficar de fora. A agropecuária vem alavancando e segurando a economia do nosso estado por isso, precisamos mostrar aos produtores rurais, empresários, instituições financeiras, iniciativa privada e órgãos o quanto o setor é importante. Fazer um evento deste porte é um grande desafio para este ano, mas, sem dúvidas, será o marco de um recomeço”, disse Mário Borba.
Os visitantes poderão conferir e adquirir animais de raça selecionada como Gado Nelore, Sindi, Guzerá, Gir, Girolando e Holandês. Entre os equinos, o destaque é para a raça Mangalarga Marchador. Entre os caprinos e ovinos estarão em exposição raças como Dorper, White dorper, Santa inês, Boer, Anglo nubiana, Toggenburg, Alpina, Saanen, Savana.
A Feira de Exposição Paraíba Agronegócios 2015 é uma realização do Governo do Estado através da Sedap, em parceria com a Faepa, com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural da Paraíba (Senar-PB), o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas da Paraíba (Sebrae-PB).
- See more at: http://paraiba.pb.gov.br/secretarias/agropecuaria-e-pesca/governo-da-paraiba-realiza-feira-agropecuaria-e-derivados/#sthash.LqsqNvdf.dpuf
O Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), realiza a 48ª Feira Agropecuária e de Derivados da Paraíba. O evento acontecerá de 20 a 27 de setembro, no Centro de Eventos e Exposição Henrique Vieira de Melo. A Feira “Paraíba Agronegócios 2015” visa à realização de negócios para o setor agropecuário, comercialização de animais, máquinas e feno, além de apresentar novas tecnologias para os produtores rurais do Estado.
Na programação, serão oito dias de feira dedicados ao agronegócio paraibano, com exposição de máquinas e implementos agrícolas, oficinas, cursos e palestras, julgamentos, shopping de animais, leilão de bovinos, feira de artesanato e de agricultura familiar, praça de alimentação e shows com atrações musicais. O evento também contará com a participação do Kennel Clube da Paraíba, com exposição de diversas raças caninas, demonstração e campeonato de agility, esporte no qual o cão precisa superar obstáculos e campeonato nacional de cavalos da raça Mangalarga Machador.
O secretário Rômulo Montenegro destaca que o reconhecimento da Paraíba como zona livre de febre aftosa abriu a oportunidade para realização do evento “nós vamos apresentar para o brasil uma das melhores genéticas e não tenho dúvidas que iremos impulsionar o agronegócio, todos os parceiros estão convictos que teremos a possibilidade de receber grandes incentivos para o estado, aqui estarão criadores de todo o brasil será uma troca de conhecimentos e possibilidades para impulsionar o agronegócio,” destacou.
Já para o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), Mário Borba, que é um dos principais parceiros da exposição diz que a retomada da Exposição é uma grande conquista para “termos a possibilidade real do retorno das negociações agropecuárias para movimentar a economia do setor. O agronegócio comprovou para o País que é um dos principais vetores de desenvolvimento e a Paraíba não vai ficar de fora. A agropecuária vem alavancando e segurando a economia do nosso estado por isso, precisamos mostrar aos produtores rurais, empresários, instituições financeiras, iniciativa privada e órgãos o quanto o setor é importante. Fazer um evento deste porte é um grande desafio para este ano, mas, sem dúvidas, será o marco de um recomeço”, disse Mário Borba.
Os visitantes poderão conferir e adquirir animais de raça selecionada como Gado Nelore, Sindi, Guzerá, Gir, Girolando e Holandês. Entre os equinos, o destaque é para a raça Mangalarga Marchador. Entre os caprinos e ovinos estarão em exposição raças como Dorper, White dorper, Santa inês, Boer, Anglo nubiana, Toggenburg, Alpina, Saanen, Savana.
A Feira de Exposição Paraíba Agronegócios 2015 é uma realização do Governo do Estado através da Sedap, em parceria com a Faepa, com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural da Paraíba (Senar-PB), o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas da Paraíba (Sebrae-PB).
- See more at: http://paraiba.pb.gov.br/secretarias/agropecuaria-e-pesca/governo-da-paraiba-realiza-feira-agropecuaria-e-derivados/#sthash.LqsqNvdf.dpuf

Cavalgada da Emancipação 2ª edição de Custódia, reune vaqueiros de toda região.

Milhares de vaqueiros de todas as regiões prestigiaram a cavalgada da emancipação e comemoraram com uma grande cavalgada os 87 anos da nossa terra. 

Percorrendo grande parte da zona rural do município em um total de 28 km, os cavaleiros e amazonas se concentraram logo cedinho, às 6:00h na escola municipal Janaína Mércia em Quitimbu onde tomaram um café reforçado preparado pela equipe da Secretaria de Educação e Cultura. 

De lá partiram com seus cavalos até o primeiro bate cela no Sítio Mimoso do amigo Marães. 


Em seguida percorreram mais 5 km até o Sítio Santana onde foram recepcionados pelo líder comunitário Luciano da Santana que ofereceu uma deliciosa e carregada feijoada tudo para que os vaqueiros seguissem fortes, pois ainda iriam enfrentar 14km de estrada e um sol que não estava para brincadeira. 

Em forte galope chegaram rápido a segunda parada que foi na no Sítio Vaca Preta do amigo Pedro Rafael. 

Às 17:00 todos os cavaleiros chegaram a cidade e percorreram as principais ruas onde foram saudados pelos custodienses e se dirigiram até o parque de exposição Armando Wanderley da Fonte onde teve um grande shows com o Cantor Janailson do Acordeom e a Banda Vaqueiro Matuto. 

O Prefeito Luiz Carlos no seu discurso de agradecimento, agradeceu a presença do Prefeito de Sertânia Guga Lins e de todas as equipes que prestigiaram a cavalgada da emancipação.

André Brasiliano ASCOM-PMC